Segunda-feira, Janeiro 18, 2021
BasquetebolNacional

Qualificação ao Afrobasket 2021: Moçambique entra em falso e sem ritmo competitivo na derrota com Angola

104views

A Selecção Nacional de Basquetebol de Moçambique  saiu derrotada diante da sua congénere de Angola por 87-58 no seu jogo de estreia na janela de qualificação ao Afrobasket 2021 que iniciou esta quarta-feira em Kigali, no Ruanda. Este jogo aconteceu 8 meses depois de paragem devido a pandemia da COVID-19 que obrigou a paragem de todo desporto nacional. Esta quinta-feira, 26 de Novembro, Moçambique volta a entrar em cena diante da poderosa selecção do Senegal, pelas 17 Horas (de Maputo e Kigali),

Os rapazes de Milagre Macome denotaram falta de ritmo competitivo ao longo do jogo em que Moçambique contou no cinco inicial com  Orlando Novela (a base) Kendal Manuel e David Canivete (extremos), Helton Ubisse e Custódio Muchate (a postes). 

Equilíbrio foi o que se notou no primeiro quarto em que os rapazes do Índico iniciaram bem e aguentaram ao ponto de chegar ao fim desta etapa com o “placard” a assinalar 16-13, depois de terem ficado os primeiros 3:03 minutos na liderança (4-0).

Festival de “turnovers” que abriu campo para fuga de Angola 

Nos dez minutos seguintes, Angola que está representada pela equipa do Petro Atlético de Luanda, impôs um ritmo mais acelerado, enquanto Moçambique começou a cometer “turnovers” (perdas de bola) em excesso, como as três cometidas a faltar 1:22 minuto para o fim dos primeiros 20 minutos de jogo, o que fez com os pupilos de José Nego estendessem a diferença para 12 pontos e ao intervalo já perdíamos por 40-26.

Os hendacampeões africanos demonstraram ter um jogo mais eficiente tanto ao nível do lançamento exterior, assim como debaixo do cesto e terminaram o terceiro quarto a vencerem por 70-43. 

Ainda assim esta foi a melhor etapa de Moçambique na qual anotou 17 pontos contra os anteriores 13 em cada um dos dois quartos anteriores e 15 no último. 

No último quarto começou a faltar discernimento no jogo de Moçambique, a quebra física foi notória e a equipa técnica respondeu colocando as melhores unidades mais tempo no banco de suplentes preservando-as para os próximos jogos. No final Angola chegou a uma vitória inquestionável por 87-58.

David Canivete foi cestinha do jogo

No capítulo individual, dos jogadores que militam internamente, há a destacar a prestação de David Canivete que foi o cestinha do jogo ao anotar 15 pontos e ainda oito ressaltos (2 ofensivos e 6 defensivos) e de Hugo Martins surpreendeu pela positiva ao anotar 10 pontos e dois ressaltos e um desarme.

Dos jogadores que militam no estrangeiro, realçar que tenha feito de tudo para dar a volta ao cansaço físico, com Kendal Manuel a jogar 30 minutos, contribuindo com 12 pontos, dois ressaltos defensivos e quatro assistências. Já Jeremias Manjate esteve 23:10 minutos em campo, marcou oito pontos, e capturou sete ressaltos (dois defensivos e cinco ofensivos).

Moçambique que esteve apenas 3:03 minutos na liderança da partida (com 4-0 no marcador) contra 34:09 minutos de Angola, apresentou-se com níveis baixos de concretização, com 28.6% (20/70) nos lançamentos de campo e 14.3% (3/21) nos triplos, para além de 26 “turnovers”. 

FICHA TÉCNICA:

ANGOLA (87): 4-Olímpio Cipriano (14 pts), 5-Childe Dundão (2), 6- Carlos Morais (13), 8- Joaquim Pedro (2), 9- Leonel Paulo (7), 13- Abou Bakar Gekou (12), 14- Melvin da Silva (12), 15- Jaques Conceição (4), 18- Jerson Goncalves (6), 21- Jane Lopes Pedro (2), José António (9), 32-Valdelicio Joaquim (6).

TREINADOR: José Neto (Brasil)

ASSISTENTES: Aníbal Moreira  e Victor Carvalho 

MOÇAMBIQUE (58): 0- Ismael Nurmamade (0), 2-Kendal Manuel (12), 6-David Canivete Jr (15), 7 – Hugo Martins (10), 8-Orlando Novela (2), 9-Helton Ubisse (3), Custódio Muchate (0), 12- Inélcio Chire (4), 13- Pio Matos Jr. (4), 20- Octávio Magoliço (0), 21- Milton Caifaz (0), Jeremias Manjate (8)

TREINADOR: Milagre Macome 

ASSISTENTE: César Mujui


Leave a Response